terça-feira, janeiro 31, 2006

"Quero voce inteira e minha metade de volta"



Fondue de queijo preparado com oito variedades de queijo, duas tacas de vinho branco e seco, o suco de meia laranja, ervas finas, manjericao, umas pitadas de um picante qualquer. Vinho tinto. La fora, fazia frio, bastante. Assim como faz aqui dentro, agorinha...

A lembranca dos sorrisos e olhares trocados durante toda a madrugada faz com que o sabor do vinho se torne levemente salgado, feito secrecoes lacrimais. Hoje, sobre a mesa, a memoria das gargalhadas ecoa e mancha as paredes, piso e teto. La fora, chove sim. Aqui dentro, tambem.

Eu

- Eu sou leso
- Tenho só a cara de besta
- Sou de todo mundo
- Sou de ninguém
- Sou mau
- Sou palhaço
- Uma ótima companhia
- Insuportável
- Muita gente me odeia
- Sou cachorro
- Canalha
- Safado
- Tímido
- Já ouvi dizer que até "maludo" eu sou.
- Sou muito flexível.
- Meu fígado também
- Tenho disposição de sobra para o que me interessa.
- Sou um aventureiro

Em algum lugar...

Entre dentes, te abraço
Com meus braços, te remôo
Na tua ausência, te sinto
Em soar de grilos, te ouço
São os teus olhos fechados que me guiam
Enquanto meus sonhos, de abertos, se perdem

Quero uma namorada perfeita.

Vista aéra do planeta Terra hoje pela manhã. Mais precisamente em Belém do Pará

Antes, um adendo. Gostaria que apenas um dia, um diazinho na minha vida, eu pergunte - Está calor ou é impressão minha? E que a pessoa me responda: - Não Maluco, é só uma impressão tua.
Pois sim, quero uma namorada perfeita. Uhn. Já escrevi isso antes aqui. Textos remanescentes?
Então deixa pra lá. Só para ficar registrado que quero uma namorada perfeita, pra que ela aprenda todos os vícios comigo. Daí ficar complicada, esquisita, ciumenta, desleixada e muito mais. Porém feliz.


segunda-feira, janeiro 30, 2006

Cisma, tara, tesão

Ninguém sabe explicar, o fato é que ele e ela jamais serão fraternos de tapinha nas costas, beijos na testa,jamais! São anos, anos, desde a época do colégio. Passam séculos sem notícias um do outro,mas quando se encontram obedecem a um velho ritual, primeiro um papo ameno, depois uma troca de olhares, telefones...é praxe, os amigos comuns já sabem, os mais sacanas comentam "é o fogo perto da palha", as mal comidas dizem "é sem vergonhice", os mal amados e muito frustrados repetem "é doença", os cultos e sensatos "é burrice", os românticos incorrigíveis "é paixão" ao que eles sempre respondem " é cisma, tara, tesão".
é simples.

"Foi mal"

Como é possível? só um ser do sexo masculino é capaz de tamanha cara de pau, de dizer coisas do tipo:"Foi mal, gosto das duas, preciso das duas senão vou morrer, estou confuso e angustiado, me ajuda, vc é minha paz, ela o inferno na terra, e eu preciso viver entre o céu e o inferno, sou um fraco, quero te ver, estou com saudades,é só prá conversar, ainda me amas?que horas passo aí prá sairmos,vamos tentar? fazer amor?Estou indeciso", e blá, blá, blá, não necessariamente nesta ordem,acompanhado de olhar tenso e perdido e das opcionais lágrimas de crocodilo.
Só consigo pensar nas seguintes opções para lidar com tamanha lambança:
Ignorar
Queimar
Escalpelar
Cornear
Castrar
Empalar
Matar

Precisando trabalhar essa agressividade? será?

O mala dos malas

A pobre moça estava sendo perseguida pelo ex namorado maníaco a noite toda, todas as baladas em que ela chegava com os amigos, lá chegava o encosto atrás, perseguindo, querendo, implorando mais uma chance e consequentemente "melando" qualquer tentativa de interação da menina com outro ser do sexo oposto...
Ela conseguiu burlar a marcação, combinou com os amigos...iriam tomar um capuccino, um chopp e o que mais desejassem naquela velha charuteria, local de aroma agradabilíssimo.
Ela festejava, havia finalmente se livrado de seu algoz perseguidor...quando, como que por encanto adentra no recinto o clone do Marcelo Nova...isso mesmo "eu não matei Joana D'arc, ô Sílvia piranha, etc". Tá, tudo bem, o cara (o Marcelo original)tem atitude, é rock and roll, mas putz, é muito feio tb! Enfim, o clone feioso mirou na menina, baforou charutos baratos e fedorentos na cara dela, malatizou, alugou, galatizou horrores a pobre moça.
Quando tudo parecia perdido, eis que chega o inominado, o chato, o ex que naquele momento virou uma espécie da "Jack Bouer-meu herói"...ela pulou no pescoço dele...o Marcelo Nova se tocou e foi só saírem do recinto que ela disse "descobri sua missão na terra queridão, vc é um espantalho de malas!Uma espécie de mala mor, valeu!"

Minha vida burguesa é um romance.

Alguém aqui não conhece a música Rádio Blah do Lobão?
Pois é, acho que o cara, naquela época de outrora, fez alguma viagem psicodélica ao futuro, regada a qualquer substância catalisadora que fosse, me conheceu e escreveu essa música pra mim, pra descrever a minha vida sob ótica de um certo alguém que me cerca ...

new trainspotting



Nove meses, preparar a vinda de quem esta tao longe
Confundido entre algo que nao eh e algo que se esconde.
Nove meses, conservar pra ele o que antes se cria
Encher o pequeno quarto com a sua poesia
Muito tempo, ate se aprender a soletrar a vida
Muito bom, ate se aprender que tudo esta na mira da inocencia adolescente
e que vai acertar...

Nove anos, tenho que ninar meu filho mais um pouco
Impedir que o tempo e suas marcas
facam dele um louco
Mas tambem cuidar pra que ele nao mantenha as maos vazias
Ensinar que a dor de muitas quedas pode ser sadia
e um dia ser apenas dor, passado e alegria

E mesmo assim, se ele decidir pelo caminho errado
Terei que estar com ele, errada do seu lado
Pra um dia eu ver de novo o seu sorriso
um filho eh algo que eu sou, e que eu tambem preciso

Pra um dia eu ver de novo o seu sorriso
um filho eh algo que eu sou, e que eu tambem preciso...

* cancao de nincar - Norman Bates e os Coracoes Alados

Irmããããããããos!

Venho aqui pregar! Não uma parede, um prego ou qualquer coisa parecida.

Venho pregar a palavra da Igreja Invisível.

Meu nome, irmããããããos, é João, eu sou o Pastor João!

Irmãããããos, estou aqui para acalmar vocês. Pois eu ainda não sei, mas o Senhor sabe! Um dos dois vocês ainda vão encarar. Irmãããããos vocês podem ir pro céu ou pro inferno.

Irmãããããs, se o pecado sempre anda ao seu lado, se o Demônio vive a lhe tentar, fiquem tranquilas Irmãããããs, meu cajado está aqui para purificar!

Irmãããããos, não há pobreza nem desespero. Por pequenas 3 parcelas vocês podem comprar minha água benta. É com ela, e com o exercício da fé, que vocês podem crer. Ela remove montanha, traz grana e um monte de mulher.

Irmãããããos, eu sou um milagreiro, pois eu tranformo água em vinho, chão eu céu, pau em pedra e cuspe em mel.

Irmãããããos, eu sou o Pastor João e a Igreja Invisível.

domingo, janeiro 29, 2006

sono hikari ni tsuite

Algumas dores vao muito, mas MUITO alem de ossos e musculos.

Algumas quedas tambem sao bem mais profundas que qualquer piso de concreto.

"Teus loucos lencois pintados
por um pintor qualquer
desenham estranhas formas
em voce..."

Snowboarding em Hiroshima

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Quando em Roma...

Velhinus istis romus. Lupus hungarium gerium florestum scontitus. Ruper caminhimus alonus velhinus docius teikare. Lupus malicius kiled velhinus travestidus est. Ruper rats entrandum romus est velhinus bedius est doentus e siquius.
Velhinus kiled ruper. Homus machadus kiled lupus. Velhinus et ruper vivum est in estomagus lupus.
Vivere felitius forevis est.
Amen

Entrando na moda só pra encher o saco...

חזרה לרשימהיומן קהיר ספטמבר 2004

לפנות בוקר, יום שישי- קהיר ריקה , כבישיה עירומים ושמיכת כוכבים זוהרת עוטה אותה, מסתירה את היום הסמיך והמאובק, ומעטרת אותה בהילה רומנטית ממגנטת.
הנוף הנשקף מחלון הדירה בקומה העשירית באחד מרחובות שכונת דואי, מגלה עיר עמוסת חלונות שכתרי נאון מעטרים את ראשי מגדליה, הלא הם מלונות היוקרה לאורך הנילוס. לכאן מגיע המערב, מוקסם, מהופנט, רוצה לטעום ולעולם אינו שבע.
העיר הצפופה והדחוקה היא עיר של שפות רבות, של אמנים, מדינאים ואנשי רוח, וגם ביתם של אנשי אדמה, פלאחים, מליוני עניים שמתקבצים על גגותיה, בפתחי בניניה, ובין הריסות מבנים מרעידות אדמה מרובות

光の思い出


その心の中に
光っているのは何だ?
雪か?
涙か?
生命なんだ?
さあ...
目の中にあるのが
不思議。

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Bruno Aziz Lima



Eu fico sem palavras quando a gente se vê em algumas situações desses Dilemas da vida.

Bruno, você está de parabéns pelas tiras. Serei sempre um eterno admirador (das tiras).

Procura-se um namorado com defeito.

Não gosto de homens perfeitinhos, daqueles doces até enjoar, liiiiindos como o Ken (namorado da Barbie) que querem que a gente coma açaí com granola todo dia, quer saber nosso itinerário, cuidar da nossa vida. Isso é função de secretária ou da mamãezinha. Esse tipo sempre se preocupa em levar a gente nos lugares da moda, cheios de frescura só pra se exibir. - pra mim ou pros outros - Eles sempre querem que a gente se comporte como 1 bonequinha diante de todos porque ele mesmo é 1 modelo de virtude (sem contar os hipócritas que querem ser modelo de virtude mas debaixo dos panos tão mais pra modelo de putaria). A gente tem que tá sempre de cabelo arrumado, saia comprida, riso recatado, olhar pudico, andar em dia com a academia e nos sapatinhos de princesinha porque menos não tem moral pra andar com ele.

Eu gosto de homens normais, com barriguinha de chopp, cabelo desalinhado, que adore bater aquela bola com os amigos e tomar um chopp esperto no fim do dia - o que me dá 1 sra oportunidade de fazer o mesmo, só trocando o futebol pelas compras, porque não jogo nada. Que curta amanhecer num boteco ouvindo boa música, seja Chico Buarque, Charlie Parker ou Iron Maiden. Ele pode ter 1 moto ou o carro do ano de 1986, ou mesmo andar de bonde, afinal de contas, carro não beija nem abraça, só quebra o galho pra CHEGAR onde se QUER IR ou quando não SE TEM pra onde IR (pra isso eu tenho o meu) mas é bom que saiba dirigir pra quando o pilequinho bater, ele possa me salvar das garras malvadas do meu volante desenfreado.

Gosto daquele que me chama de "neguinha", me abrace quando tem vontade mas não que vire 1 polvo em todo lugar pra onde a gente vá. Um homem que tenha opinião e a defenda mesmo que seja diferente da minha - porque é legal discutir e é melhor ainda fazer as pases - do tipo que não leve desaforo pra casa. Aquele homem que chega e me deixa nua sem tirar 1 peça minha sequer, muito menos o olhar de quem idealiza tudo o que tem por baixo delas todas. Que venha de mansinho e se espalhe pelas paredes a minha volta pra me afagar, acariciar ou me dominar, com pensamentos, atos e palavras. Um homem ousado pra vir até mim e pra não ter frescura se eu for até ele. Que beba comigo, dance comigo - mesmo desengonçadamente - que me carregue de casa pra 1 final de semana na casa dele, Alcóoldoal ou em Nova York, que seja - materialmente o lugar pra onde vamos não importa, o que importa é o lugar onde nos façamos chegar.


Pode ser cabeça dura, não cabeça fechada. Pode perguntar onde vou e com quem à vontade mas que nem invente de me impedir, a não ser que tenha 1 enorme tendência suicidaque explique tal gesto. Desleixado? Tá na mão, eu sou a bagunça personificada e odeio quando ficam me torrando pra eu me organizar. Atrasado? Detesto esperar, por isso me atrasaria mais do que ele, com certeza ( hehehe). O tipo que olha pras outras quando passam? Oras, eu também olho pros homens e, sinceramente, antes olhar "descaradamente" do que comer(elas) "discretamente"! Isso tudo eu tiro de letra. Adoro esses defeitos! São eles que me fazem lembrar que eu tenho 1 HOMEM, não mais 1 AMIGA.

Eu quero 1 homem com defeito! Agora, não vale ser desagradável, sujo, bandido, viciado ou - pior de tudo - BURRO.
Humano tá bom demais...
hehehe

terça-feira, janeiro 24, 2006

Okinawa - Digitalizacoes impressionaveis - parte final - Em Naha

Dia 15 de Janeiro foi dia de deixar a cidadezinha miucha de Chatan e rumar pra Naha. Naha eh a chamada "capital de Okinawa", e eh dessas cidades pequenas metidas a besta. Trata-se de uma Chatan um pouco maior, com a mesma proporcao de gringos (a maioria do exercito americano, e nao turista), e tem uma "Avenida Internacional", cheia de lojas pra sugar dinheiro de gringos, japoneses e BowiesMacGowens...

Cheguei la em 15 de Janeiro pela noite, e meu inicio de turismo naquela pequenez de capital foi buscar algo o que comer. Eu ja disse que em Okinawa, quase tudo o que se come eh de porco, nao? Entao, existe um prato famosissimo nas duas pontas do Japao, que eh o "go-ya- champloo", ou algo assim se escrevermos em caracteres romanos. Bom, toda capital que se preze, tem sua propria rede de fast-food, que nao necessita exatamente se expandir para o resto do mundo, mas simplesmente sobreviver do poder capitalista exercente sobre os coracoes bairristas que por ali abundem. Dessa forma, temos o Bob's no Brasil, entre outros. Em Okinawa, ha o "Jef's burgers", o unico lugar do mundo (porque so ha ali mesmo) que serve o "Goya's burger"!!! Eu fui la, conferir a parada.


placa do Jef, em Okinawa. Na placa acima, onde se le ゴーヤー バーガー, tem-se os caraceteres japoneses para "Goya Burger".


Em fase de devoracao do bicho...


De camiseta da Cerpa, cara de insatisfacao pior nao lembro de ter feito ao devorar esses coisos em toda minha vida...

"Go-ya Champloo" eh um troco parecido com uma omelete triturada, com ovos fritos mexidos, carne de porco, bacon, toufu e um legume comum em Okinawa chamado "nigaouri". "Nigai" eh o termo que designa "amargo" em japones, e o treco eh realmente amargo. Para se preparar o "champloo", tem-se que lavar o bicho em agua corrente, com um pouco de sal, pra tirar o excesso do amargume. Mas resulta num troco bao pra cacete. O Goya burger, hummmm.... Deixou a desejar, como todo bom fast-food. Mas a Orion Beer do lugar eh excelente! Alias, como toda Orion de todo lugar!!!

Dia seguinte, desperto no "Hotel Internacional", porque toda cidade metida a besta tem que ter um "business hotel" chamado "Hotel Internacional", e vou burufufar pela miudez de Naha. Meu primeiro espanto logo em frente a estacao do metro: Ao inves das famosas e confortabilissimas cabines telefonicas que existem no Japao, um ORELHAO VERMELHO, da cor dos orelhoes paulistanos da decada de 1980, antes do advento da Intelig! Acabrunhado, cheguei mais perto pra espiar... Passa que Naha eh cidade-irma de Sao Vicente, em Sao Paulo, e o prefeito de Sao Vicente, a fim de estreitar os lacos entre as cidades irmas, resolveu instalar um orelhao ali, pode? Achei no minimo, embassado....


Um orelhao em Naha!!!!


Ah, ta.... Agora da de entender... Sao Vicente e Naha sao cidades irmas, e algum filha da puta brasileiro resolveu sacanear o povo de Naha mandando essa bosta pra la!

Depois de visitar um jardim chines maneiro e gigantesco, perambulei, comprei, bebi, cisquei, fucei, e nao achei em Naha nada que me chamasse tanta atencao -- como em toda "media-cidade-grande" que nao sejam Belem do Para ou Hiroshima. Gastei um baita dinheirao por la, mesmo sem te-lo, em bugingangas e lembrancas pra todo cristao, ateu, arabe ou judeu que conheco, comprei Awamori (mais ainda....), bebi Orion Beer (mais ainda....), andei pelo mercado central da cidade (yeah!!! Isso foi massa!!!), cansei e fui embora pro aeroporto, as 16h, esperar por um voo que somente sairia as 18:20....


Detalhe do Jardim Chines em Naha.... Maneiro....

E foi isso ai.... Valeu Okinawa!!! Uma semana num lugar maneiro, quentinho e cheio de meninas bonitas e meigas!


Okinawa-Soba (沖縄そば) e.... ORION BEER!!!! Ja no Aeroporto Internacional de Naha, minha ultima refeicao do dia, e meu ultimo chope da Orion em terras onde o porco esta em tudo quanto eh canto.

Adorei e pretendo voltar..... Dia desses....


E para nao dizerem que eu nao trabalhei...


E pra nao dizerem que eu nao "trabalhei"....

Porque esse ano o que vale é a REGRA DOS CINCO!!!!

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Eu sou a derrota com pernas!

Perdi o celular.
Entre outros...

My Funny Valentine espera sob a nevasca



O chao em que pisas, neve sobre os cedros
Nao deixas rastro que nao sejam cinzas e po
Minhas entranhas nas tuas maos, dentro de mim
vazio feito alva neve:
Esvair-me ao leve toque da manha

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Tempo? Pequeno demais para grandes coisas, muito grande para as pequenas.

Ontem a noite bebi uma cerveja. Tá bom, algumas. Não foram só cervejas, foram alguns chopps, algumas cervejas e a companhia embriagante de uma antiga paixão.

Daí, cheguei em casa, assisti um filme e fui dormir. Até ontem minha vida foi normal.

Hoje acordei umas 7:44 da manha. Isso quer dizer que eu teria 16 minutos para: 1. acordar 2. tomar banho 3. tomar café da manhã 4. chegar no escritório.

Fiz o passo 2 antes de qualquer outro. E quando voltei no meu quarto, olhei o relógio e pasmen!!! Eram 7:28!

Eu voltei no tempo, ou o tempo voltou no tempo. Ou tudo voltou no tempo! Mas eu ganhei 16 minutos a mais de vida! É sério gente!

Daí eu parei pra pensar numa frase dita por um célebre: "Não pararia o tempo pra ficar contigo. Mas espero o tempo não parar até te ver de novo"

Conclui que o tempo está de complô comigo. Só pode. Eu vi a frase momentos antes de dormir. Coisa estranha.

Pensando bem, é realmente por ai...

Como não sou adepta de fazer lá muita coisa produtiva com a minha vida, comecei a ler "Please Kill Me", a história sem censura do punk. (pelo menos a parte II, vou caçar a I)

Minha mãe não pariu nenhum punk mas eis que aqui não faço parte (mas tô mentendo meu bedelhinho) - parafraseando 1 letra duma banda que o Paulo André gosta pra caralho mas que eu nunca lembro qual é (deve ser o bendito Mundo Livre S.A. ou, whatever) - não sou em nada chegada ao estilo, nem musical, nem da sujeira raivosinha, mas dou o seu devido valor dentro do contexto e tô adorando saber os detalhes isólitos dos bastidores da estragação que tanto dá o que falar até hoje.

É como se fosse 1 documentário literário, com depoimentos de produtores, editores, repórteres, e claro, não podia faltar os astros da época (uns Ramones, uns Stoogies, uns Sex Pistols, um Iggy, um Bowie, até o Elvis Costelo, Alice Cooper e o Bob Dylan tão no meio da cambada tagarelante), evidentemente que com suas respetivas mulheres e as groupies.

E tem cada tirada sensacional!De vez enquando vou citar umas paradas por aqui (coisa que já comecei a fazer no meu nick de msn com a frase sobre o diabo), começando agora com 1 não-intencional "definição" do movimento feita por Legs McNeil (ex-punk, ex editor de plantão da revista Punk; ex-editor senior da revista Spin; ex-editor-chefe da revista Nerve, enfim, ex do caralho a 4...):

"Punk tinha a ver com aniquilação. Nada deu certo então vamos direto pro Armagedom. Sabe como é, se você descobrisse que os mísseis estavam a caminho, provavelmente iria começar a dizer o que sempre quis, provavelmente ia se virar pra sua mulher e dizer: sabe, sempre pensei em você como 1 vaca. E foi assim que a gente se comportou."

ADOREI!!!!

Okinawa - Digitalizacoes impressionaveis - parte 4 - A visita a fabrica da Orion Beer

オリオンビール: マジ旨いぜ!!!

Em 14 de Janeiro, mais um sabado ensolarado e quente de Okinawa, eu tinha duas programacoes para o dia inteiro. Duas apenas. Uma, de pouquissima importancia, era visitar o maior aquario publico do Japao, que comporta o maior tanque e de maior espessura acrilica para comportar tubaroes do mundo. Para que se tenha ideia, os caras mantem dois tubaroes baleias e mais uma cacetada de outras especies nesse tanque de acrilico. O tubarao-baleia eh a maior especie de peixes do mundo (considerando que ainda sao tubaroes, e que taxonomicamente falando, tubaroes ainda sao peixes). Bom, eu nao dei muita importancia pra historia nao. Afinal de contas, trabalhei em um aquario publico desde os meus treze anos de idade ate me formar na graduacao... Va la, deve figurar entre os menores do mundo, com toda certeza e franqueza, mas aquario eh aquario em qualquer lugar do mundo, e eu ja vi tantos grandiosos aquarios, que a grandeza ou miudeza deles nao me faz a menor diferenca....


O aquario de acrilico mais espesso do mundo.... Esqueci da espessura exata, mas acho que era quase um metro. Nao lembro mesmo... Minha cabeca estava em outro lugar, a poucos quilometros dali...

Esse aquario, chamado "Chuura umi Suizokukan" ("O aquario da bela costa", em bom e polido japones), fica numa praca gigantesca, de frente ao mar, chamada ""Kaiyou haku kouen" ("A praca-museu do mar"). O lugar eh gigantesco mesmo, e tem ate um servico especial para transporte de velhinhos de um extremo ao outro da praca, com uma mini-frota de onibus eletricos rodando de tantos em tantos minutos. Apesar da imensidao do lugar, eu nao demorei tanto por ali, pois meu outro compromisso turistico do dia me aguardava... Digamos que eu estava ansiosissimo!!!


Vista a partir da entrada da "Kayou haku kouen", 海洋博公園, com o mar ao fundo. ".... o mar, anti-galileu..."

Na cidade de Nago, a 40km de Naha (que eh mais ou menos a "capital de Okinawa"), fica a UNICA e MODESTA fabrica da Orion Beer, a cerveja da qual Okinawa tanto se orgulha em produzir. Modesta pela pequenez mesmo, pois o lugar eh realmente pequenino pra uma fabrica de cinco variedades de cervejas (detalhadas em Okinawa - parte 1). O que surpreende eh a beleza e limpeza do lugar, alem da serenidade no ambiente, nem parecendo que se esta numa usina de loucuras (quem sabe, sabe: O ser humano eh capaz de loucuras apos beber umas cervejinhas a mais.... Algumas pessoas sao capazes de loucuras SOMENTE para beber uma cerveja!). A fabrica organiza visitas gratuitas, de hora marcada, aos lotes de producao, e essas visitas podem ser assistidas ou nao. Nao se pode usar maquinas filmadoras, mas fotografar, pode-se a vontade.... Achei isso estranho, mas va la, va la...


Fachada da unica fabrica da Orion Beer, em Nago.

Uma mocinha de nome Erika (nao a nossa "EHRIKA", como em portugues, e perdao pela falta de acentos, mas no caso das "Erikas" japonesas, a silaba tonica eh o "ri") foi quem assistiu a minha visita. Simpatica ate quando range de odio, mesmo na hora de pedir que eu maneirasse em meus modos, a menina me tratou bem. Ela me explicou todo o processo de producao da Orion Beer, desde os ingredientes brutos ate a diferenciacao do sabor de cada variedade, inclusive deixando-me provar da cerveja ANTES de passar pelo processo de filtragem (delicia!!!!), onde a mesma ainda eh opaca! Eu estava nos ceus!!!


A base de tudo: trigo e lupulo


Proporcoes da materia bruta: 70% de trigo e 30% de lupulo. E da-le pegada maneira na lingua!

Ao final da, por assim dizer, "excursao etilica", fui solenemente convidado a "degustar", tambem gratuitamente, do chope recem-fabricado da Orion, no "salao de degustacao". Nesse mesmo ambiente, apos pedir que me servissem pela terceira vez, a mesma doce Erika me convidou para sair da fabrica.... Por que tera sido?


O ambiente de degustacao da fabrica da Orion Beer... Prometo voltar, srta. Erika... E nesse dia, nao restara uma gota sequer dessa cerveja!!! Eu juro!!!

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Okinawa - Digitalizacoes impressionaveis - parte 3 - Chatan Chourou, o "veio porreta de Chatan"

北谷長老 - Uma historia de Okinawa


Da esquerda para direita: Chatan Chourou de 50 e de 100 anos, respectivamente. Ambos para deuses e/ou imortais SOMENTE. Nao estao a venda.... Mas podem ser roubados a qualquer momento (hehehehehe!!!)

Oficialmente, eu fui a Okinawa por minha pesquisa, ou ao menos por uma parte dela. Em principio, eu organizei um plano de viagem para tres dias de intenso trabalho, onde eu sairia de Hiroshima numa terca-feira e retornaria numa sexta, trabalhando terca, quarta e quinta, e curtindo um tantinho da sexta como turista. Meu orientador disse que eu nao conseguiria terminar o trabalho em tres dias, e me aconselhou a ficar naquelas terras paradisiacas e repletas de gringos por uma semana. Cheguei em Okinawa na manha de 10 de Janeiro, uma terca-feira ensolarada e quente pra cacete, e naquele mesmo dia me empenhei no meu trabalho. O completei em dois exatos dias. Como eu adoro a sabedoria oriental...

Na manha de quinta-feira, ja sem porra nenhuma para fazer, fui informado pelo Sr. Ise, dono do estabelecimento "Oyado", onde eu estava hospedado, que ali proximo ha a fabrica de Awamori de Chatan ("Chatan" eh o nome da cidade onde eu estava em Okinawa, e "Awamori" eh o destilado de arroz tradicional de Okinawa), e que visitas a fabrica sao possiveis e gratuitas. Obvio que antes de soar meio dia, eu ja estava la, com camera na mao e tudo o mais. O figado, eu deixei no "Oyado".

O Awamori de Chatan chama "Chatan Chourou", que em japones significa algo como "O envelhecido de Chatan", onde o carater para "chou" (em japones, "nagai") significa "comprido", ou "extenso", ou seja: o Awamori de Chatan eh envelhicido por bastante tempo. Ao me avistar, a primeira reacao do cara na portaria do estabelecimento foi esbocar um ingles meia-boca pra me explicar que ele nao falava ingles.... Quando eu comecei a falar em japones, senti que os olhos do cidadao brilhavam de alivio. Ele se chamava Sr. Sakamoto, que gentilmente me mostrou toda a fabrica, me explicando com detalhes o processo de fabricacao do Awamori de Chatan, desde a fermentacao dos ingredientes ate o processo de envelhecimento, apos a destilagem.

Em seguida, o senhor Sakamoto me convidou a experimentar de cada uma das variedades de Chatan Chourou produzidas agorinha: uma variedade de curto envelhecimento, de 5 anos, e de graduacao alcoolica de 25%; duas de medio envelhecimento, dez anos, com graduacao alcoolica de 35% e 43%; uma com alto envelhecimento, de graduacao alcoolica de 30%; e uma de altissimo envelhecimento, vinte anos, com 30% de graduacao alcoolica. Todos, com excessao do dez anos de 43%, exatamente todos eram perfeitos e saborosos. Tomei uma dose de cada, e fiquei vermelhinho da silva. Alegre, voltei flutuando ate o Oyado.... Naquela noite, dormi muito feliz. Mas eu sabia que algo ainda melhor me aguardava pelos proximos dias....


Da esquerda para dreita: 5 anos blerga, que "... faz ate parecer bonito bater na mae", 10 anos porreta, 10 anos arrebenta-tripa, 15 anos DO CARALHO e 20 anos para poucos mortais....

quarta-feira, janeiro 18, 2006

My Funny Valentine pelas maravilhas que recobrem teu mundo



Tu me sabes e me chamas pelo nome que me deste:
Insinuas teus torpores, o lupulo de um breve segundo
Tu te contorces, tu me bates, tu gemes, e tu ate sorris
As furias do teu prazer:
Alvas e rubras.

Okinawa - Digitalizacoes impressionaveis - parte 2: "Oyado" - O lugar mais paz-e-amor de Okinawa.


Placa do dormitorio/guest house "oyado", com o carater para "yado", que em japones quer dizer "acomodacao".

Em Okinawa, encontra-se o tipo de mulher que mais me agradou no Japao. Elas nao parecem japonesas de fato... Lembram nossas nikkeis no Brasil, que sao japonesas que ficaram adultas. Assim sao as mulheres de Okinawa: devidamente mulheres, e nao essa pimbaiada cheirando a leite que encontramos ao longo desse pais em forma de tripa. As meninas falam de forma elegante, bebem de forma elegante, andam de forma elegante, e sorriem mostrando os dentes, o que eh rarissimo aqui no Japao. Conheci uma guria chamada Mari, que trabalha como garconete numa "izakaya" (em japones, "boteco"), e que serviu as cervejas que eu requeri. Perguntei sobre a indiscreta marca em seu pescoco, e ela respondeu cinicamente: "um mosquito, ontem a noite, me picou", ao que contestei: "deve ter sido daqueles mosquitos bem grandoes que so existem em terras quentes do sul, nao?", e ela: "nem imaginas o quao grande". Essa foi a nossa conversa sorridente, abastecida pelos chopes de Orion que Mari trazia sempre que eu os requisitava. Antes de sair do ambiente, perguntei com a maior cara de pau: "nenhum chope por conta da casa hoje", e recebi um belo "engracadinho" como resposta.

Eu pousei num lugar descolado, barato e paz-e-amor chamado "Oyado". O que me chamou atencao para querer dormir ali por uma semana foi o preco da diaria, nada mais. Mas assim que pisei no "escritorio/balcao de atendimento/salao para fumantes/local reservado para consumo de bebidas alcoolicas/etc." do lugar, e falei com o "dono/gerente/faxineiro/camareiro/etc." do "lugar", resolvi de imediato que nao ha melhor lugar para hospedar-se em toda Okinawa!!!


O "escritorio/balcao de atendimento/salao para fumantes/local reservado para consumo de bebidas alcoolicas/etc." do dormitorio/guest house "Oyado". Notem que o ambiente inspira certa seriedade, numa sobriedade digna de um pub irlandes.

Trata-se de um dormitorio, onde tres "hospedes" "pousam" la ha dois anos, os quais o dono (o sr. Ise) os tem como sua propria familia! De resto, simples pessoas como eu, entram e saem do lugar o tempo todo. Dois ambientes do lugar impressionam: 1) a cozinha, onde se pode fazer qualquer experimento cientifico que se queira; e 2) o escritorio, comentado anteriormente. Tirei varias fotos do ambiente, e as divulgo logo aqui abaixo.

Na cozinha do ambiente, havia uma geladeira repleta da variedade da Orion Beer que eu mais gostei, a feita de trigo e de alta fermentacao e de alta gradacao alcoolica. Ela chama "Mugi Shokunin". Uma latinha a 1,5 dolares, depositados num pote de vidro, cheio de moedas e remendos, tambem dentro da geladeira. Fico imaginando o "por que" dos remendos.... Sobre a geladeira, garrafas de varios tipos e marcas de Awamori, o destilado de arroz tradicional de Okinawa. Beber deles era possivel desde que se pagasse uma taxa unica de 2,5 dolares, tambem depositados no mesmo pote dentro da geladeira. Taxa unica para degustar de Awamori a vontade, pelo tempo que estiver hospedado no "Oyado". Grande lugar, grande lugar....


A geladeira num momento de pouca replecao de "Mugi Shokunin", da Orion Beer. Notem a frente das latas o pote de vidro descrito nas linhas acima.

Na parede da cozinha/living room, reside um "negro sorridente e bebedor e fumador de sei-la-o-que e de apenas meia cabeca". Ele nunca foi terminado, e assim eu o chamei. Fotos dele acompanham esse post cheio de nostalgia de um lugar o qual jamais esquecerei.


O negro bebedor, fumador e sorridente de meia cabeca que vive na parede do living room do Oyado....

O prazer está em viver as descobertas e gozar das redescobertas...

"Como um animal que sabe da floresta,
perigosa
Redescobrir o sal que está na própria pele,
macia
Redescobrir o doce no lamber das línguas,
macias
Redescobrir o gosto, o sabor da festa,
magia

...
Não tenha medo, meu menino bobo,
memória
Tudo principia na própria pessoa,
beleza
Vai como a criança que não teme o tempo,
mistério
Amor, se fazer é tão prazer que é como se fosse dor,
magia..."




* Gonzaguinha

terça-feira, janeiro 17, 2006

Okinawa - Digitalizacoes impressionaveis - parte 1



Estou de volta de Okinawa! Uma semana longe de todo o frio e neve e lerdeza que o inverno rigoroso do Japao proporciona ao ser cristao. Bom, vou postar sobre minhas impressoes daquele arquipelago sulista, paradisiaco e quente. Pra inicio de conversa, falaremos de Okinawa, o que eh, onde fica, quem vive la, e o que se faz por la.

Okinawa, como eu disse antes, eh um arquipelago de varias ilhotas que fica ao sul do grande arquipelago japones. No fim das contas, nao passa de uma pitada a mais de ilhotas num punhado de ilhotas um pouco maior. Trata-se de um Havai japones, com as mesmas proporcoes de gringos e japoneses para ambas as localidades. Antes, Okinawa nao era Japao, e para ingressar em territorio japones necessitava-se de passaporte. Ah, o idioma daquelas terras longínquas nem era o japones tambem, mas sim o "uchina guchi", onde "uchina" significa "okinawa" e "guchi" significa "lingua". O mesmo vocabulo - guchi - em japones, significa boca ou entrada ou mesmo saida, o que dependendo da situacao e do periodo do mes, da no mesmo. Em Okinawa, come-se principalmente 1) porco; 2) cabra; e 3) peixe. Diz-se naquelas bandas que ".... do porco, so nao se come o berro...". Quem ja presenciou o sacrificio/abatimento de um desses animais sabe muito bem do que se trata. Em Okinawa nasceu o Sensei Miyagi, falecido quando de nossa mudanca de provedor, e a quem dedicamos um post todinho.


".... em Okinawa, do porco, so nao se come o berro...."

Sai de Hiroshima numa manha fria, muito fria, de dez de janeiro do ano do senhor de 2006. Eram seis graus negativos, e meus colhoes apertavam com firmeza as paredes do colon descendente do meu intestino grosso, de tanto frio. Apenas uma hora e meia depois, aterrisso no aeroporto internacional de Naha, onde faziam dezenove graus. Minhas costas comecaram a suar feito uma porca no cio esperando pelo coito do varao, e no mesmo dia, devido a mudanca brusca de temperatura, desenvolvi uma herpes labial que perpetua ate os dias de hoje. Saindo do aeroporto, uma enorme placa com os dizeres "mensoure", quem em "uchina guchi" quer dizer "yokoso", que em japones quer dizer "bem vindo".

Meus objetivos nessa ilha eram: 1) fugir do frio de Hiroshima por quanto mais tempo possivel; 2) beber quanta cerveja Orion em conseguisse em menos tempo possivel; 3) beber quanto mais Awamori, um destilado de arroz tradicional de Okinawa, no menor tempo possivel; e por ultimo e menos importante, 4) tratar de uma determinada fase de minha pesquisa.

Ja que falei na cerveja Orion, deixem-me explicar exatamente do que se trata, mas deixo bem claro que eu farei um adendo, um post dedicado EXCLUSIVAMENTE A ELA, ja que visitei a fabrica da belezura.... Confesso que QUASE FUI EXPULSO de la. Trata-se de uma marca de cerveja fabricada SOMENTE em Okinawa, e que produz cinco variedades diferentes de cerveja: 1) comum de cevada e lupulo, draft, baixa graduacao alcoolica e bem veraneia; 2) de trigo, alta fermentacao e alta graduacao alcoolica, com uma pegada maneira na lingua; 3) uma lager de baixa fermentacao e bem marromenos; 4) uma serie especial produzida a partir de trigo, cevada, malte, lupulo, alta fermentacao e alta graduacao alcoolica, mas que nao fede nem cheira apesar de tanto balacobaco; e 5) um chope excelente.

Divagações em co-autoria

Fim, o abrupto fim, e eu me pergunto: Onde é que eu vou hospedar estes benditos sentimentos? O coração transborda, o sótão tá cheio de pensamentos que atrapalham meu sono, meu bom senso saiu pela porta a 72 horas, nem sinais de retorno, esqueceu o casaco..é uma agonia!
Vai rolar uma ação de despejo, mais uma vez, não é a primeira, nem será a última.
Alguém se oferece prá chamar um caminhão baú, é o Maluco, praticamente co-autor deste post.
Deveras sensível,neste exato momento a flor da pele digo: não adianta disfarçar, eu sinto,mas enfim, não vou condenar o mundo por isso!
Cadê meu pote? Eu tenho um, levaram a tampa, com tudo...nem sei.

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Pérolas (ou divagações)

Hoje resolvi fazer abdominais na esperança que o meu maior investimento nos últimos anos seja corroído.
É, minha pança já deve ter um apartamento de tantas cervejas que eu já tomei.
Terminadas as 150 abdominais que arrisquei fazer, consegui recuperar todas as calorias com 3 pratos de ravioli com calabresa. Ô maravilha.

Continuo insistindo com as pessoas que meu coração não é de pedra porque pedra ainda tem peso. Meu coração é de isopor. Eu sou mau.

Apago os scraps de quem apaga os meus scraps. Assisto Não Pertube e admiro o jeito demoníaco de Bart Simpson.

Meu novo nome é Isoporheart.

Faço perguntas indiscretas pras pessoas porque eu quero conhecê-las melhor. E faço piadinhas quando as pessoas querem saber meu sentimento.

Também sou palhacinho quando estou muito nervoso, ou muito feliz. E sempre fico nervoso quando to feliz.

E costumo ficar feliz quando me apaixono. Ó, viram como há algum sentimento?

Eu não faço só sexo brutal, sei onde está o meu sentimento!

Enfim. Quero tocar as pessoas com as palavras, enquanto não posso tocá-las com os lábios. Quero ver se o cupido me acerta, ou se eu acho um pote de sentimentos que eu possa abrir.

Eu quero, só não sei como, nem com quem.

Espaço destinado ao desenvolvimento artísticos das pessoas que postam aqui.

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Halls

Diz que o rapaz já tinha experimentado de quase tudo, heterossexualmente falando, de sexo. Uma mulher, duas mulheres, três mulheres, no carro, na rua, na chuva, na fazendo, e até com uma peninha pra fazer cócegas.

Aproveitava então uma tarde de verão para pensar em algo interessante para fazer com a nova namorada. Mas nada vinha a mente. Piscina, lubrificantes, manteiga. Tudo ele já tinha experimentado.

Comprou um halls, daqueles pretos (já temos algumas dicas). E de repente uma lampadazinha acendeu em cima da cabecinha geniosa do nosso amigo.

Claro que ele não podia chegar muito forte com a menina e com a idéia na cabeça. Então pensou em como 'azeitar' o clima para fazer o que ele queria.

Convidou-a para um jantar. Luz de velas (sete dias, brancas), vinho (Cretina da Serra), uma maniçoba de leve, e um cd de Techno-Axé-Calypso-Brega como música de fundo.

O clima estava ótimo. Depois da segunda pratada de maniçoba os dois sentaram no sofá e estavam assistindo o programa do Carlos Santos na TV.

Mão boba aqui, risinhos pra lá, mão boba alí e a brincadeira começou assim: mão na mão, mão na coisa, coisa na mão e já estava quase coisa na coisa.

Então ele discretamente colocou um halls na boca. E foi beijando orelhina, peitinho, barriguinha... até que chegou lá e 'suavemente' passou a língua.

Ela deu um suspiro, e depois se debateu e soltou um grito. - Caralho, que merda é essa que tá ardendo?

Com o susto o halls entrou na boca do rapaz e ele engasgou. (quem já engasgou com bala soft sabe o que falo). Ele se jogou pra trás e bateu a cabeça na mesa de centro. O caos se formava! A menina abanava com a mão a periquita que tava ardendo e o figura tentava respirar e começava a sentir o galo na cabeça.

Ela, num momento de profunda reflexão, corre pro banheiro e joga uma água. Sai pulando nua pela casa, xingando o maldito chuveiro elétrico queimado e a maldita água que escorreu e deu aquela reação de ardor que só o Halls Preto proporciona com água.

No dia seguinte, ela, de saia, foi buscar todas as calcinhas que estavam na casa dele.

terça-feira, janeiro 10, 2006

Utilidade Pública


Seguinte, isso é importante e é sério.

O Jornal Argentino Lá Nacion está fazendo uma enquete sobre quem será o ganhador da copa na alemanha.

Até então, a Argentina estava como favorita, entretanto, algum brasileiro descobriu a enquete.

Nem preciso dizer o que temos que fazer, né? O link é esse aqui: http://comunidad.lanacion.com.ar/encuestas/Encuestagracias.asp?dominioorigen=&flag=0&encuesta_id=2134

Copiei do Abóbra Diário: http://www.abobradiario.blogspot.com/

Esporte Radical

Depois de uma segunda-feira de tentativas frustradas, hoje as 8:25 consegui falar com alguém na TIM pra cancelar a linha do meu irmão.

Sim, já são 8:28 e estou ouvindo uma musiquinha chata. Estão me passando para o "setor responsável". Meu deus! Essa música me dá sono!

Eu falei que era por motivos financeiros, acho que falei errado. Eu deveria ter xingado logo a empresa!

Agora já foi. Vamos ver. A menina diz que não consegue passar pro setor responsável. Que beleza! Se eu fosse ela, ligava pra TIM e pedia pra cancelar a linha dela, que não consegue uma simples transferência.

Passou! To falando com o Anderson! Vamos ver. Eu falei que quero cancelar. Mais uma vez escutei um "Só um momento, por favor". (Esse pessoal é muito insistente!)

Já são 8:38.

Opa! Veio a contra-proposta! To negando, to negando...

Impressionante!!!!! Ele pediu "mais um momento por favor"! Já são 8:44. Percebam que já estou há 20 minutos pra cancelar uma linha e não falei nem 5 minutos com os atendentes!

Quando eu tiver outra crise de insônia eu vou ligar lá e pedir pra cancelar uma linha. A musica dá muito sono!

Ele quer que eu use o pré-pago da TIM. Neguei de novo. Nunca falei tanto "Não" na vida, e nunca escutei tanto "Mais um momento por favor". To ficando cansado.

Eles são muito insistentes, e no final, não posso cancelar porque ainda estou dentro da fidelidade. Tudo bem, tudo bem, em Fevereiro eu ligo de novo.

Como registro, são 9:01. passei mais de meia hora no telefone e nada!

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Uma estranha emoção!

Gente, retorno com aquele jeito de cachorro molhado que quebrou o vaso...sacam? então, moral em baixa, perdi meus pertences, levei um pito do amado ("tens que maneirar"), enfim...aí volto ao trabalho, abro meu e-mail as 18 horas e com que me deparo? um e-mail que me deixou emocionada!
Mas eu nem sei explicar como, é uma emoção diferente...
Meu primeiro namorado com quem fiquei 6, quase 7 anos,enfim o segundo grau todo até metade da Faculdade, me encontrou no maldito-bendito orkut.
Caramba, muiito estranho, legal, insólito, galático e emocionante saber dele, vieram só lembranças boas na minha cabeça e eu fiquei muiito feliz em saber que ele está muiito feliz.
A vida é muito engraçada, as coisas ruins se dissipam mesmo, o tempo, vejam bem, não é clichê, é realmente um santo remédio pra curar algumas feridas e as coisas boas, importantes, bonitas prevalecem sobre todas as outras.
Tô com uma ótima sensação de absolvição..sei lá! passei anos achando que tinha agido como uma filha da puta egoísta com alguém que não merecia...
Ufa, é uma estranha emoção!

沖縄 - - - Okinawa!

Resolvi dar um tempo de neve e tristeza e solidao. Vou pra Okinawa, onde eh mais quentinho, passar uma semana. Nao, nao vou somente de farra. Vou tambem fazer minha pesquisa (acreditem). Na verdade, estarei extremamente ocupado nela...

A cerveja de Okinawa eh extremamente famosa aqui no Japao, e eh excelente. Chama-se "Orion Beer", e eh feita a base de trigo, resultando numa lager de dar inveja a qualquer entendedor.

Escrevi "okinawa" nos caracteres japoneses e em caracteres romanos no google. Selecionei essas imagens ai:









では、また帰ってきて自分の反応を教えるわ!!!

domingo, janeiro 08, 2006

Acredite se quiser...

Eu perdi o celular novamente! o segundo,terceiro..enfim...DROGA! ainda nem paguei as tuberculosas prestações...
Paro de beber,juro, parei!

My Funny Valentine, espelhos voltados para o futuro



Implorar, sim eu posso
peco, peço-te que fiques
demoras tuas penas sobre minha dor
minas de ilusão, temedor de ti
eu rezo, eu espero
um cigarro se apaga.

Teces meus passos do futuro
num sorriso e num falsete
tens sempre uma nota solta,
viciada em brilhos de outros dias
e tu me olhas nos olhos
tu não tens pena, tu não podes (mais) sonhar.

Sons confusos e ásperos e estéreis:
tudo o que me dizes,
tudo o que me sentes
tu viras teu corpo desencontro ao meu
teus contornos, meus anseios:
giz branco sobre ladrilhos,
vento forte, fim de tarde.

Não é o que tu és, não é o que tu sempre serás...

sexta-feira, janeiro 06, 2006

My Funny Valentine entre mil cacos de vidro



Não que seja doce,
é só o que derramas
tua febre ociosa, mil
os teus demônios matinais
e gritas, eufórica
tuas peias por vingança.

Eu te quero entre absurdos
abusiva e feroz
milhas de distancia entre
teu desejo de estar e o sabor
do beijo alcoolizado.

Eu te gargalho, eu te entorpeço
porque és vil e são puras
tuas matizes de passado.

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Nao eh facil....



Vivo num pais de putarias....

Sai do Brasil, onde TUDO eh motivo para tomar uma cerveja, e cheguei a esse pais do extremo oriente, ha mais ou menos dois anos. Triste, achei que nao teria mais toda aquela sacanagem, aquela putada desgracada de fim de semana, e que todo o meu cotidiano seria refletido em olhares puxados e serios.

Mas que nada....

O destino sorriu para mim, e me mandou para o pais onde, depois do Brasil (logico), pede-se somente um quezinho para iniciar uma putada, uma cervejada daquelas de meter inveja no vizinho, por ter te sacaneado quando o teu time de futebol perdeu pro dele, e voces deixaram de se falar.

Pois vejam bem, para ilustrar meu infame coloquio, vou descrever um tanto das atividades confraternais de fim de ano no Japao.

Novembro: O ano comeca a terminar, e desde o inicio de outubro as luzes de Natal piscam nas ruas. Fala-se em "bounenkai" (despedida do ano velho - uma celebracao onde se bebe muito e se esquece dos problemas do ano decorrido). Os "bounenkai" se dao em geral em meados a fins de dezembro, e deve-se planejar meticulosamente onde ele ocorrera, pois nao pode faltar bebida e comida. Planeja-se um bounenkai num bar, durante varios fins de semana consecutivos, sem chegar em nenhuma conclusao, ate que esteja-se EM CIMA DA HORA para fechar a data do tal evento. Note que existem bounenkais para CADA ATIVIDADE exercida. Ou seja: Se tu so trabalhas e nao tens amigos, azar o teu, havera apenas um bounenkai no teu fim de ano, com os teus companheiros de trabalho. Se tens uma vida social agitada, tu vais beber muito, meu amigo....

Dezembro: Ja bebeste nos teus varios bounenkais, e o Natal ta em cima. O Natal para os japoneses eh uma data preciosa, pois eles levam suas namoradas/esposas/primas/cadelas de estimacao para o motel NESTE DIA. Para uma japonesa, deixar de dar durante o Natal eh sinonimo de derrota. Muitas meninas se suicidam nessa epoca do ano por nao terem sido comidas por ninguem. Algumas saem para beber e se atracam no primeiro velhinho que se sente ao seu lado, so para dar pra ele. Se tu nao tens namorada/esposa/prima/cadela de estimacao ou outro animal que seja, tu vais prum bar e enche a cara. Se tu tens uma das companhias referidas acima, tu tambem vais prum bar e enche a cara, mas depois tu vais pro motel.

Dezembro: Trinta e um de Dezembro e o ano ta acabando mesmo. Ano novo, tu vais prum bar e enche a cara. Countdowns, concertos de roque enrola, de tudo rola um pouco nessa data. E nesse tudo, sempre ha cerveja. Sempre....

Janeiro: Primeiro dia do ano. Eh dia de rezar, de agradecer por ter sobrevivido aos bounenkais e natais e anos novos, e por ter bebido bastante durante esses dias... Tu vais num templo shintoista para ser abencoado por deus, qualquer um (No Japao ha muitos deuses). Nao importa qual deus seja, TODO deus japones eh chegado numa birita. O que encontras de manha cedo num templo shintoista? Saque! E tu bebes a primeira de varias doses do dia. Note que ha muitos deuses no Japao. Se tu es muito religioso, podes passar o dia inteiro peregrinando por templos shintoistas enquanto tomas umas goros com a bencao do Senhor. Cai a noite, e tu vais num templo budista, rezar um pouco mais. Chegando la, o que tu encontras? Saque doce! Excelente para recuperar os niveis de glicose.

Janeiro: Desde vinte e oito de Dezembro ate seis de Janeiro, QUASE TUDO no Japao eh fechado -- de supermercados a caixas eletronicos, pois ate as maquinas merecem descanso nesse nobre e estupido pais. Aos poucos, tu vais recobrando as tuas energias de tanta bebedeira, e nesses dias todos so tens duas opcoes para se divertir: Lojas de conveniencias e bares -- os unicos estabelecimentos que nao fecham para as comemoracoes de fim de ano no Japao. Ja sabes o que vais comprar nas lojas de conveniencia e eu nem te digo o que tu vais fazer nos bares....

Janeiro: Ja eh seis de Janeiro do novo ano que se inicia, e tu voltas ao trabalho. Ali chegando, tu reencontras os mesmos filhos de uma puta que te sacanearam e que sacaneaste ao longo do ano, e voces resolvem fazer um "Shin nen kai", ou seja, uma confraternizacao pelo novo ano que se inicia, mais ou menos um "bounenkai", so que ao contrario -- ao inves de esquecer das cagadas do ano que passou, tu vais profetizar as cagadas do ano que inicia.

O meu foi ontem....

Cinco de Janeiro, dez horas da manha, e eu sentado na frente do computador desde as sete e trinta. Nao eh facil....

Nao eh mesmo.

terça-feira, janeiro 03, 2006

Ele nos ve....



E nos manda o seu sinal.

Devo ser forte.... Eu sei. Ele sabe.

Alguem sempre tem que saber.

Assassinato na rua Sheldon




NAAAAAAAAAAAAAAAAO!!!!

Um dia, quis tocar o céu.



Sabe, uma daquelas vezes que a gente pensa na vida e começam a aparecer letras, como numa máquina de escrever. As palavras se formam e vem logo aquela impressão que tudo que vou ler é algo que vai tocar a alma, provocar um sentimento profundo de amor, paz, harmonia conosco mesmo.

Que nada, eu queria tocar o céu pra sentir a possibilidade de voar. Desprender os pés do chão. Mas que porra, a gente não voa. Se fosse pra voar, tínhamos asas. A Natureza é justa? É sim. Nos deu a capacidade de inventar o avião. Mas não podemos nos empolgar muito. Com o desenvolvimento da aviãção vieram os Barões Vermelhos, B-52, Migs, F-16, Tomahawks. E a milenar arte da guerra tomou novos ares.

Quero tocar o céu sim, pra dizer que posso voar, como uma sensação física. Como se eu caísse e sem querer errasse o chão. Pra conhecer o Marvin, ou pra acompanhar Snoopy e Woodstock em suas viagens, embaladas pela trilha sonora de Schroeder. Ou pra ver Jimi Hendrix tocar nuvens distorcidas.

Quis tocar o céu sim. Mas quando estava chegando perto da lâmpada do meu quarto, tropecei no travesseiro, bati a canela no espelho da cama, e quebrei o braço quando atingi o chão.

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Droga!

Maldito óóóóóórkut! é uma merda, cara e a gente sabe de tudo, ficam umas dúvidas, umas pulgas enoormes atrás da orelha...cabecinha galática de imaginação fértil não deveria acessar esta porcaria, o maldito orkut...

Ufa, sobrou uma vaga no meu coracao....



Eu ja to de saco cheio de 2006....

O meu 2005 nao foi perfeito, mas foi do caralho. Que me tragam ele de volta.

"Sem olhar pro seu semblante, eu
sinto uma atracao
gigante
em saber o que ha depois
e o que vem antes"

sim...

vavaco de rexona citurs , cadê tú qdo mais preciso??????

É....

Bêbada e pela primeira vez desde que tinha 10 anos sem passar o reveillon na praia vos digo, tô bêbada mesmo, navegando na internet...o namorado tá na praia com 200 filhos e eu na minha galatice mor penso..na esbórnia! Que droga, só a paixão faz isso , ainda bem que este não é um estágio químico eterno...este estágio da paixão...essa merda que rói, que desmancha...que caga tudo! Ainda tenho que administrar o vizinho gato, o nome dele é Marcelo, e ele acha minhas pernas "um tesão"...droga! A falta de sinal, de sinal do celular é um drama...meu vizinho lindo de 1,92mts tb É !droga um turbilhão de emoções,e eu , que deveria centradamente estar escrevendo, estou alcooooolizada...insegura e galática com 3 amigas feministissímas ao lado!
Não, não vou dar pro Marcelo, pelo menos agora...eu gosto daquele velho pai de família, ex marido de mulher fútil, que se encantou comigo prq sou maluca, e genuinamente simples...
agora só queria falar com o Maluco..ser doente que amo...DROGA!

domingo, janeiro 01, 2006

Procura-se 1 par de óculos

Ser humano sem noção
Reveillon com menos noção ainda
O mundo, de repente, parece turvo, enevoado
Eu pensava que era o Andarilho que tinha tirado a Mexicana pra dançar
E que as loirinhas tinham dado 1 duplo-carpado-rebolado-piruetado-dispirocado na minha cabeça
Mas, na realidade, fui eu que perdi meus óculos mesmo
...
Deve tá em algum portal dimensional da sucursal da Parede do Universo...
Depois eu procuro


*Foto por Rodrigo Cardozo