sexta-feira, março 28, 2008

Cerveja, solos e filosofia (ou Pale Blue Dot)


Pois nessas madrugadas a gente percebe que está inspirado para escrever alguma coisa. Entao vem a pergunta de sempre: Com que palavra começar um texto?

Mas existem aquelas palavras nulas, que juntas com outras vão formando as frases.

Como as pequenas ações do nosso dia a dia. Quando a gente acorda, olha o lindo sol lá fora, e enche os pulmões num espreguiçar, para dizer: - Hoje é o melhor dia da minha vida!

E quando você chega no trabalho, você recebe uma bronca do seu chefe, ou um fornecedor não mandou o que tinha prometido. E você começa a questionar se esse é realmente o melhor dia da sua vida.

Saindo pro almoço você encontra aquela grande mulher que foi sua paixão. Ela retribui um sorriso, puxa um papo, e quando você vê, já almoçaram juntos lembrando de passados alegres, até que ela recebe uma ligação do marido e sai correndo, as pressas.

Voltando pra casa num engarrafamento desgraçado, debaixo de chuva, a rádio toca aquela música antiiiiga, que você escutava feliz da vida num passado distante.

Chegando em casa, a geladeira está vazia, o Jornal Nacional vem com suas desgraças da vida cotidiana. Você se cansa e vai dormir.

Se você chegou até aqui, continue.

É nessa hora. Nessa hora que você deitou na cama, e já está pensando no amanhã, refletindo sobre o hoje que passou. Essa é a hora importante. Na hora que o travesseiro (ou a falta dele) são seus companheiros.

Nessa hora que você vai avaliar tudo que aconteceu no dia, tudo que você gostaria e tudo que você quer. Tudo que voce VAI fazer, e tudo que não vai. Nessa hora, pare pra pensar no filme abaixo:

quarta-feira, março 19, 2008

Arthur C. Clarke passa a acompanhar Dave.



Arthur C. Clarke morreu aos 90 anos, em sua casa no Sri Lanka.

A idade traz esse tipo de notícia, leva embora nossos ídolos.

Pra quem gosta de cinema, não tem como não conhecer 2001, Uma odisséia no espaço.

Nem como imaginar algumas músicas do Pink Floyd sem a referência dele.

E até mesmo hoje em dia, os milhares de satélites, que algumas pessoas romanticamente caçam em noites estreladas, que utilizam para ligar para as pessoas, que assistem seus canais de televisão, todos eles orbitram numa linha imaginária no espaço chamada "Órbitra Clarkeana"

Enfim, aqui fica mais uma pequena homenagem da Malucos Somos Nós, a um dos gênios que nos inspiram.




Algumas sincronias entre Echoes e 2001

terça-feira, março 18, 2008

...It has been a hard Paddy's day night....

.... And I've been drinking like a dog.

Tudo explicado nos anais.

Basta clicar no título para você descobrir alguns segredos femininos.

sexta-feira, março 14, 2008

XXX Molephilia - nova categoria pornográfica escala bactérias e outras células como protagonistas


O long-donkey das bactérias. É quase impressionante o tamanho que o membro exposto atinge em pleno ato sexual, dada a virilidade destes organismos...

Eu assisti ao vídeo....
Cenas fortes, muito fortes. Eu nem me atrevo a descrever, sequer em linhas breves, tamanha ousadia nos detalhes dessa nova modalidade sexual. Gosto da cena em que o bactério pega a bactéria pelos cabelos e.... Bom, pode ter criança lendo isso aqui, eu não quero e nem preciso passar da conta.
O link está no título. Vejam através dos seus próprios olhos.

O Jazz e a criatividade


Chet Baker -- o trompetista que eu mais admiro. Só ele e eu sabemos o quanto já aprontamos juntos, entre noitadas, jantares, de um extremo ao outro deste planeta cheio d'água! Grande Chet. Não sabes quanta falta tu fazes.

Muitos dos meus posts, senão a maioria deles, são sobre música. E boa parte desses posts fala de jazz, ou tem referências diretas ou indiretas a este estilo musical que tanto me apetece. Eu me orgulho de ter ensinado a utilidade de um disco bem escolhido do Chet Baker, meu músico de jazz favorito, para o nosso Maluco-mor, principalmente se esse disco serve como papel de parede para um jantar assim,  assim, assim ou assim para uma companhia assim, assim, assim ou assim. Jazz, volume baixo e pouca luz... Jazz com cerveja.... Jazz sem vergonha. Sem vergonha. Sem-vergonhice e a criatividade, com boas pitadas de cara-de-pau, que é pra temperar... Jazz com tequila, limão e sal. Jazz de manhã, quando despertas e te vês muito bem acompanhado. Jazz nos pensamentos, enquanto escutas a bronca do chefe, que entra e sai, ilesa, passando da cavidade auricular esquerda para a direita, entre um solo de trumpete ou um improviso no piano. Jazz que entra e sai. Que entra e sai... Entra e sai, ad infinitum, ou ad satisfactorium.
Todo bom disco de jazz, ou ao menos aqueles que se prestam para tal, são fonte de criatividade extrema, com garantia de fábrica de nove meses. Para mais.
Eu recomendo! Ah, o link está no título. E aqui também.

quinta-feira, março 13, 2008

Se...

Se eu fosse um mês seria... Outubro. Não é porque é o mês do meu aniversário. Outubro é a cara do Pará, de Belém. Não sou católica mas a farra do Círio é do caralho. E pra mim, aí que começa o "fim do ano".

Se eu fosse um dia da semana seria... SEXTA! É quando tudo começa.

Se eu fosse um número seria... 4. Sei lá, porque é par.

Se eu fosse um planeta seria... Vênus. Porque ele é pequeno, brilhante, aparentemente adorável. Tão adorável quanto letal.

Se eu fosse uma direção seria... Sul. Prefiro pingüins a ursos polares.

Se eu fosse um móvel seria... Uma eletrola. Nada como o som de 1 bolachão.

Se eu fosse um liquido seria... Uma cerveja estupidamente gelada bem no meio da tarde.

Se eu fosse um pecado seria... Vaidade. Porque não tem erro.

Se eu fosse uma pedra seria... Ametista. Porque é a pedra que mais "capta" energia positiva E é lilás, minha cor preferida.

Se eu fosse um metal seria... Platina. É melhor que prata e não é dourado.

Se eu fosse uma árvore seria... Jacarandá. Pode não ser muito alta mas tem madeira da melhor qualidade. Fora que, em floração fica a coisa mais linda, e as flores ainda são lilás!

Se eu fosse uma fruta seria... Maracujá. Porque é gostoso de qualquer jeito: puro, no suco, bolo, molho, caldo, calda, tudo! É tão bom chega faz mal.

Se eu fosse uma flor seria... hortênsia ou dama-da-noite. Pela cor, pela beleza e aroma.

Se eu fosse um clima seria... Frio. Odeio calor.

Se eu fosse um instrumento musical seria... Piano. Notas de veludo em tom de melancolia.

Se eu fosse um elemento seria... Água. Tira o peso das coisas, faz flutuar. Mas também afoga.

Se eu fosse uma cor seria... Lilás, mais precisamente lavanda. É a cor mais positiva mas tem matiz de saudade.

Se eu fosse um animal seria... Águia americana. Pra poder voar como uma pluma, enxergar longe e ser certeira no bote.

Se eu fosse um som seria... Um solo de sax. Inebriante, sinuoso e sensual.

Se eu fosse uma letra de música seria... ih, essa é foda. Não seria uma só. No momento, talvez seria um pout-pourri de Luz Del Fuego+ Pagú + Gata Todo Dia.

Se eu fosse uma canção seria... porra, de novo?! Uma só não dá. Agorinha sou Hotel Califórnia. Mas depois eu seria Baker Street, viraria Time (Pink Floyd) e então me transformaria no Prelúdio da Morte de Isolda. Por último seria Lacrimosa do Réquiem. (hoje é assim, amanhã, muda tudo)

Se eu fosse um estilo de música seria... blues e rhythm & blues. Visceral, tanto pra alegria quanto pra tristeza. Pro bem e pro mal.

Se eu fosse um perfume seria... Tókio, by Kenzo. (amo perfume masculino)

Se eu fosse um sentimento seria... Saudade! Só se sente saudade quando valeu à pena. E quem sente saudade nunca esquece.

Se eu fosse um livro seria… "Só os idiotas são felizes". A autora ME escreveu. Tudo o que eu penso e sinto tá lá. Ela deve ter sonhado comigo...

Se eu fosse uma comida seria… filé à parmegiana da Cantina Italiana. Ou batata-frita (ninguém resiste à batata-frita)

Se eu fosse um lugar (cidade ) seria ... Londres. Cosmopolita em todos os sentidos.

Se eu fosse um gosto seria... do primeiro gole de cerveja de sexta-feira. Gosto de boemia, de liberdade.

Se eu fosse um cheiro seria… de mato molhado da chuva das 2 da tarde. A cara de Belém!

Se eu fosse uma palavra seria… tesão. É o que inspira, move as pessoas, dá sabor a tudo o que fazemos.

Se eu fosse um verbo seria… sonhar. Sonhos estimulam a gente a crescer, evoluir.

Se eu fosse um objeto seria… uma jukebox (acho que é assim que se escreve). Assim eu guardaria todas as músicas que marcam a vida da gente.

Se eu fosse uma roupa seria… na realidade eu seria um sapato, scarpin, de bico fino e salto bem alto. Basta um desses pra qualquer mulher se tornar fatal. Tendo isso, roupas são dispensáveis.

Se eu fosse uma parte do corpo seria… nariz ou orelha. Imagens marcam, mas os aromas imortalizam. E a música embala os sonhos e frustrações da vida.

Se eu fosse uma expressão seria… o choro. Ele só aparece quando algo ou alguém realmente emociona, derruba todas as defesas psicológicas, seja por alegria, tristeza, agonia ou saudade.

Se eu fosse um desenho animado seria… GARFIELD, é claro! Come, dorme e é sarcático. Só falta beber...

Se eu fosse um filme seria… em termos de personalidade, seria "Moulin Rouge": vibrante, boêmio exagerado. Mas em se tratando do que gostaria de ser, "Antes do Amanhecer" seria o ideal: simples, despretencioso e real, mas com toques sutis de lirismo.

Se eu fosse um forma seria… triângulo. Sei lá... deve ser porque é a forma mais básica de todas. Tá em tudo, faz parte de tudo...

Se eu fosse uma estação seria… outono. É a mais melancólica das estações. Metaforicamente, não é o começo (primavera), não é o auge (verão), é o meio que permite sonhar com o fim (inverno) mas tendo a bagagem do ontem pra nortear a gente. Inspira saudade mas com esperança no por vir.

Se eu fosse uma frase seria… "Meninas boazinhas vão para o céu. As más vão onde quiserem."

quarta-feira, março 12, 2008

Precoce

A cara de satisfação do pequeno "herr Meyer", em sua oitava punheta desde que despertara, às 6h am.... agorinha são 6:12


Link no título.
Espero que este garoto cure.... Até porque ele será o mais picudo do mundo, ou pelo menos o mais picudo entre os arianos, e nos próximos dez ou doze anos, estará afugentando todas as germânicas espinhentas com sua ereção de mais de hora e meia. Esperamos que essas práticas de tratamento heterossexual se espalhem mundo afora, sendo divulgadas sempre que possível, para que tenhamos uma juventude mais transviada e menos aviadada.
Ou como diria nosso amigo Maluco: "Um verdadeiro Obelix das ereções". Ele caiu sim, de cabeça, no caldeirão da pílula azul!

segunda-feira, março 10, 2008

Anos luz à nossa frente


Europa dos sonhos meus.... Tão distante quanto uma loira de olhos azuis de nome e sobrenome impronunciáveis, ou uma francesa de cabelos negros e  nome de fazer biquinho e beicinho.... Se olhares bem aqui e depois bem aqui, verás que comprar um vibrador, pegar a namorada de 16 anos em casa, e dizer para a sogra que vai bem ali, dar umazinha na praça é tudo menos excepcional em terras de Van Gogh.

sábado, março 08, 2008

Shine on you crazy diamond

Uma Camiseta Preta... Uma guitarra Preta... e uma Paixão

Então diz que um dia eu recebi aqui 2 DVD's. Remember That Night. David Gilmour ate Royal Albert Hall...



Um foi pro Brasil. E o outro ficou.

É um show que visita frequentemente meu DVD Player. Não é por nada não. É porque até hoje eu só consegui ver, em artistas, duas expressões de amor extremo.

A primeira, é a música Como é Grande meu amor por você, do Roberto Carlos.

A segunda, é o que Sir David Gilmour fez pra Sra. Polly Samson. Fez um disco inteiro. Um disco inteiro do jeito que ela pensou, ou se não pensou, gostaria, ou se não pensou nem gostaria, se surpreendeu. E mesmo depois de tudo isso, ela não precisaria pensar, gostar, ou surpreender com um disco. Ele simplesmente está feito.


Essa é a gata que estamos falando...


E feito o disco, ele consegue nos transportar para um espaço de tempo que tudo vai mais devagar. Tudo vai... tudo vai de forma apreciativa, de forma contemplativa, de forma apaixonada.

Sei que parece que o texto não vai terminar, e ele simplesmente não vai.

Acaba aqui, com uma palhinha de uma das músicas que eu mais gosto do disco:

quinta-feira, março 06, 2008

Troque seu cachorro por uma criança pobre!

Uauuu! Uauuu! Uauuu!
Uauuu! Uauuu! Uauuu!
Uauuu! Uuuuuu!...

Baptuba! Uap Baptuba!
Baptuba! Uap Baptuba!
Baptuba!
Uau! Uau! Uau!
Uau! Uau!...(2x)

Troque seu cachorro
Por uma criança pobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Sem parente, sem carinho
Sem rango, sem cobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Deixe na história de sua vida
Uma notícia nobre...

Troque seu cachorro
(Uauuu!)
Troque seu cachorro
(Uauuu!)
Troque seu cachorro
(Uauuu!)
Troque seu cachorro
(Uauuu!)
Troque seu cachorro
Por uma criança pobre...

Tem muita gente por aí
Que tá querendo levar
Uma vida de cão
Eu conheço um garotinho
Que queria ter nascido
Pastor-alemão
Esse é o rock despedida
Prá minha cachorrinha
Chamada "sua-mãe"...

É prá Sua-mãe!
(É prá Sua-mãe!)
É prá Sua-mãe!
(É prá Sua-mãe!)
É prá Sua-mãe!
(É prá Sua-mãe!)
É prá Sua-mãe!
Esse é o rock despedida
Prá cachorra "Sua-mãe"...

Seja mais humano
Seja menos canino
Dê guarita pro cachorro
Mas também dê pro menino
Se não um dia desse você
Vai amanhecer latindo
Uau! Uau! Uau!...

Troque seu cachorro
Por uma criança pobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Sem parente, sem carinho
Sem rango, sem cobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Deixe na história de sua vida
Uma notícia nobre...(2x)

Uauuu!
Baptuba, uap baptuba
Uauuu!
Baptuba, uap baptuba
Uauuu!
Baptuba
Uau! Uau! Uau!
Uau! Uau!...(2x)


Só a gente pra encontrar isso nos anais da história tosco-rock brasileira.

E ainda bota pra tocar na festa!

ADORO!

#)

segunda-feira, março 03, 2008

O Iluminado

Você assistira O Iluminado depois desse trailer?



Pois assista o trailer e alugue o filme. Você vai se surpreender!