domingo, outubro 22, 2006

Carneiro ao molho de camembert, roquefort e espinafres



A receita é velha, publicada em novembro do ano passado, para aqueles que gostam de vasculhar arquivos empoeirados. Adaptação original e livre de prato frances com nome afrescalhado e de poucas chances de reprodução, ao menos no que concerne minha fraquíssima memória. A velhice.... A velhice, e os neuronios que ela carga consigo... Desta vez, meu obrigado ao casal Eka e Diego, sempre comigo nas horas de mais ou menos cerveja, meu "gracias" ao quase-casal Manel e Rene, enquanto durar a felicidade de ambos.

Bom, voila:

Para dois (sempre para dois, sempre....)

- 300g de carne de carneiro
- o suco de meio limão, ou 150ml de vinho branco para cozinha
- uma cebola e meia
- um maço de espinafres frescos
- cogumelos. Muitos. De preferencia, duas variedades ou mais.
- 200ml de creme de leite
- 150g de queijo camembert
- 150g de queijo roquefort, ou quantidade inferior de gorgonzola picante, caso não seja possível o primeiro
- 100g de queijo Gouda, ou mozzarela, caso a grana esteja curta
- ervas finas a gosto
- manjericão a gosto
- sal a gosto
- pimenta do reino a gosto
- tres dentes de alho
- azeite de oliva a gosto

Desta vez, sem cerveja (que lástima). Pique o alho e reserve. Corte a carne do carneiro em fatias não muito finas, como se fossem bifes. em um recipiente refratário, misture a carne ao alho ao alho picado, mais o vinho (ou o suco de meio limão), sal, pimenta do reino e manjericão. Deixe descansar até que desapareça o cheiro forte da carne do carneiro, mais ou menos uns 40 minutos a uma hora. Enfim, descanse... Leia um livro, fume um cigarro, ou até mesmo faça amor, caso haja tempo, parceiro(a) e camisinha.

Corte meia cebola em rodelas finas e reserve. Corte o resto da cebola em rodelas finas também. Reserve. Corte o espinafre em tiras finas. Reserve.

Refogue meia cebola até que doure. Reserve.

Em uma frigideira levemente untada em azeite de oliva, passe os bifes um a um, até que dourem. Reserve-os. A essa altura do campeonato, o anfitrião já sente dó de ti e te oferece uma cerveja. Aceite-a sem cerimonias. Sem jamais lavá-la, na mesma frigideira usada anteriormente, refogue a cebola em azeite de oliva, com ervas finas e adicione os cogumelos também. Em seguida, refogue o espinafre em tiras, até que seu volume reduza para 1/3 do volume cru. Jamais desperdice os caldos obtidos em cada etapa. Sobre isso tudo, adicione o creme de leite, e espere que ele ferva ou tome consistência. Adicione os queijos até que derretam, e sirva esse molho em um recipiente fundo.

Sem deixar que o molho esfrie, adicione os bifes, mas não os deixe afundar. Sobre a carne, a metade de cebola previamente dourada. No exemplo de hoje, utilizou-se também uma páprica inteira, pra dar uma cor. Sirva com pães ou arroz, e uma salada crua de alfaces. Devore sem piedade.

5 comentários:

Alucinógena disse...

Quando fiz 7 anos, o prato da festa, além do pato no tucupí e da maniçoba do almoço - porque caiu no dia do círio - teve carneiro no jantar... mas não foi assiiiiim, assimmmm...

Maluco disse...

Será que ela nao fica com dor no pescoço, de tanto olhar pra cima?

Bowie Macgowan disse...

alguem por favor de as suas impressoes do PRATO pelo amor de deus

eu tenho um EGO ENORME para alimentar

Grato

Alucinógena disse...

Credo, Bowie, serve um prato ae pro teu ego, que horror deixar ele passar fome!

hehehe
#)

Lili Cheveux de Feu disse...

Tu e teus bichinhos mortos...