quinta-feira, novembro 29, 2007

Como um Mutante...

Chuck Berry

Pode não ser o inventor do gênero, mas personifica a essência do rock'n'roll: compositor, instrumentista, performer e, sobretudo, um tremendo sacana


Elvis Presley

O primeiro grande ídolo a cruzar a ponte rock/pop, o ícone-mor, mito e mico, conquistador e traidor, exemplo e caricatura. Parâmetro para medir todos no rock - e no pop


Beatles

Mil bandas em uma, template válido para todas as gerações, o DNA mitocondrial. Eles fizeram quase tudo


Glam Rock

Pop, hard rock, armações e a escada que o gênio David Bowie usou para subir


Pós-Punk

A coragem e a cara-de-pau do punk em momento supercriativo levam ao rock novas possibilidades


Tecnopop

Sintetizadores e seqüenciadores a serviço do pop. Hoje reprocessado com o nome de electro


Grunge

Outra colisão entre alternativos e pesados, fusão e confusão a cargo de Nirvana, Pearl Jam e Alice in Chains: muitos mortos e feridos no caminho


Thrash

A partir de "Kill'em All", do Metallica (1982), velocidade e volume brutais derrubam o muro entre metal e punk


Rocktrônica

A eletrônica com cara, atitude e sons - sampleados ou não - de rock


College Rock

Som dos universitários americanos do começo dos anos 80, com espaço para bandas díspares como Husker Du, R.E.M. e Pixies


Country Alternativo

Neobaladismo em onda caubói - lírico que inexplicavelmente bate forte na superurbana Londres


Indie Dance

Confluência hedonista no Reino Unido, com ecos tardios mundo afora nos anos 90


Country

Bill Halley, Elvis Presley e toda a turma da gravadora Sun, celeiro de onde o rock saiu para dominar o mundo, eram fãs do som caipira americano. Associado ao swing e ao boogie, o gênero rural permanece na essência do rock ao longo das décadas


Rhythm & Blues

Os primeiros rocks se confundem com os blues "para pular" (jump blues) dos anos 40, com elementos das big bands de swing. A soul music e todos os sons negros que também vieram a partir daí estão na alma do rock


Pop

A indústria de ídolos da música popular americana já existia, mas abraçou o rock com especial paixão. Compositores como Leiber & Stoller e produtores como Phil Spector foram fundamentais para o surgimento de fenômenos como os Beatles


Rock

Entre 1954 e 1969 é possível traçar uma linha principal, uma espécie de tronco básico de onde partem todos os ramais para essa viagem. Quase tudo o que veio depois foi definido pelas experimentações desse período de extrema criação


Folk Rock

A partir de Bob Dylan e de sua influência, a tradição medieval do trovador e as ambições poéticas e autorais se tornaram uma das principais vertentes do rock, ressurgindo ciclicamente no centro das atenções. Principalmente da crítica


Hard Rock

A partir do Yardbirds, banda que deu origem ao Led Zeppelin, o barulho segue em nuances hard rock e metal (com todas as subdivisões e novas misturas que tornaram esta linha uma das mais populares e inquietas)


Rock Alternativo

O termo é dos anos 90, mas batiza a linha que, baseada em Beatles e Stones, encarna a vocação contestadora do rock. Sai do Velvet e perfaz um trajeto cheio de estações, divisões, curvas e revoluções - entre elas, o punk


Rock Progressivo

Vindo da psicodelia britânica e do LP Sgt. Pepper's, dos Beatles, musicalmente mais elaborado, teve seu auge nos anos 70, mas é influente até hoje, apesar das críticas nem sempre justas. Rush e as bandas de metal melódico que o digam


Eletrônico

A partir do Kraftwerk, o front criativo vai rumo à tecnologia. Influenciando o pop e o comportamento, no final dos anos 80, ele se afasta do rock ortodoxo. Em espírito, trabalhos como os de Prodigy e Fatboy Slim fazem desta uma linha não tão estranha ao rock

3 comentários:

Hans Clausen disse...

Boa, alucinógena.

Temos que fazer agora uma tabela com um fluxograma.

(eu disse fluxograma?! tô parecendo meu chefe)

Anônimo disse...

meu deus, quando vocês vão postar algo original?

L.S. Alves disse...

Gostei da lista.