segunda-feira, janeiro 30, 2006

O mala dos malas

A pobre moça estava sendo perseguida pelo ex namorado maníaco a noite toda, todas as baladas em que ela chegava com os amigos, lá chegava o encosto atrás, perseguindo, querendo, implorando mais uma chance e consequentemente "melando" qualquer tentativa de interação da menina com outro ser do sexo oposto...
Ela conseguiu burlar a marcação, combinou com os amigos...iriam tomar um capuccino, um chopp e o que mais desejassem naquela velha charuteria, local de aroma agradabilíssimo.
Ela festejava, havia finalmente se livrado de seu algoz perseguidor...quando, como que por encanto adentra no recinto o clone do Marcelo Nova...isso mesmo "eu não matei Joana D'arc, ô Sílvia piranha, etc". Tá, tudo bem, o cara (o Marcelo original)tem atitude, é rock and roll, mas putz, é muito feio tb! Enfim, o clone feioso mirou na menina, baforou charutos baratos e fedorentos na cara dela, malatizou, alugou, galatizou horrores a pobre moça.
Quando tudo parecia perdido, eis que chega o inominado, o chato, o ex que naquele momento virou uma espécie da "Jack Bouer-meu herói"...ela pulou no pescoço dele...o Marcelo Nova se tocou e foi só saírem do recinto que ela disse "descobri sua missão na terra queridão, vc é um espantalho de malas!Uma espécie de mala mor, valeu!"

Um comentário:

Alucinógena disse...

HAHAHAHA

Eu tenho 1 leão-de-xácara particular! Ja me salvou de mala, de bêbado até de mulher...

Bendito seja!!!